fbpx

Tempo de leitura: 5 minutos

Família Portofino,

Na segunda-feira, 11 de abril, participamos de um jantar da Esfera Brasil com Bruno Araújo, presidente do PSDB.

Eleições 2022

“É muito difícil quebrar a polarização, mas é possível” e “o jogo acaba quando balança a bandeira” foram as frases que Bruno Araújo iniciou sua participação no evento.

Como não poderia ser diferente, muito em virtude das recentes polêmicas envolvendo o PSDB e quem seria o candidato do partido para chefe do executivo, o discurso de Araújo na maior parte do jantar foi sobre o tema.

Em suas falas iniciais, ele disse que o objetivo é quebrar a polarização “com todos os esforços”. Neste sentido, Araújo comentou que o planejamento do PSDB era fazer as prévias em relação ao candidato para Presidente da República no ano passado para se prepararem melhor.

Pacto entre partidos e o caso João Dória

O presidente do partido revelou que o PSDB, Cidadania, MDB e União Brasil fizeram um “pacto” entre os partidos e afirmou que o nome oficial para terceira via dessa coalizão será feito em consenso no dia 18 de maio, podendo ser qualquer pessoa filiada a algum desses quatro e com mais de 35 anos de idade.

Como sabemos, os principais nomes em disputa são o de João Dória (PSDB), ex-Governador de São Paulo, Sergio Moro (União Brasil), ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Eduardo Leite (PSDB), ex-Governador do Rio Grande do Sul, e Simone Tebet (MDB), senadora.

O critério da estratégia da coalizão, segundo Araújo, será escolher o candidato e depois estudar a melhor forma de lançar. Contudo, o que ele garante é que o candidato escolhido terá mais de um terço da força política do Brasil: 20 mil vereadores, 2 mil prefeitos, 160 deputados e 10 governadores. Além disso, ele destacou que o conjunto de recursos do Fundo Eleitoral será o maior do Brasil.

  • PT: R$ 484 milhões;
  • PL: R$ 283 milhões
  • Pacto: R$770 milhões (União Brasil) + R$356 milhões (MDB) + R$ 314 milhões (PSDB) + R$ 86 milhões (Cidadania) = R$ 1.5 bilhões.

Quando perguntado sobre as prévias feitas no PSDB e como seria para conciliar com o movimento entre os partidos, Araújo afirmou “que o pacto partidário está acima de qualquer prévia do partido”.

Questionado sobre Dória, o presidente do PSDB confirmou o que já havia dito antes sobre a escolha de um nome único e disse acreditar que o ex-governador vai aceitar. “Em consenso vamos chegar em um nome único e, independentemente de qual seja, ele tem certeza que o Dória vai aceitar colocar o Brasil na frente”, comentou.

Lula x Bolsonaro

No caso da estratégia da terceira via não dar certo e a disputa realmente se concentrar entre Lula e Jair Bolsonaro, Araújo explicou que há 40 dias pensava ser possível que o candidato do PT vencesse as eleições ainda no primeiro turno, mas ponderou que o atual presidente pode virar o jogo.

“Muitos eleitores acabaram ‘doando’ seus votos para o Lula, mas o que vem acontecendo é que Lula está preso nas suas últimas candidaturas, questão que está assustando os eleitores e os fazendo repensar. Desta forma, faz com que Bolsonaro ganhe tração e possa conseguir virar o jogo e ser reeleito”, analisou o convidado.

Os objetivos do PSDB

Na parte final do jantar, Araújo contou sobre o projeto do partido para as eleições deste ano. Além da presidência, um dos objetivos é manter o PSDB no estado de São Paulo com Rodrigo Garcia. “60% dos prefeitos gostam dele e praticamente domina o interior de São Paulo. Ele vai surpreender a todos”, finalizou.

Clique aqui para ler sobre outras personalidades eventos promovidos pela iniciativa EsferaBR e PortofinoMFO.

Esta é uma iniciativa Portofino Multi Family Office e EsferaBR com o propósito de fomentar o diálogo entre políticos e empresários brasileiros. Todas as opiniões aqui apresentadas são dos participantes do evento. O nosso posicionamento nesta iniciativa é o de ouvir a todos os lados, neutro e não partidário.