fbpx

Procurando entender mais sobre Fundo de Investimento em Participações?

O FIP é um tipo de fundo de investimento que permite a aplicação em ações de empresas de capital aberto ou fechado e sociedades anônimas.

Direcionada para investidores qualificados, essa modalidade costuma ser menos explorada dentro do universo de Renda Variável. Atualmente, existem apenas 15 opções listadas na B3.

Apesar disso, os Fundos de Investimento em Participações têm o potencial de oferecer excelentes retornos no mercado de capitais.

Sabendo disso, preparamos um artigo completo para você entender como funciona essa classe de ativos e quais oportunidades ela pode oferecer para sua carteira. Acompanhe!

O que é um Fundo de Investimento em Participações (FIP)?

Fundo de Investimento em Participações, também conhecido como Private Equity, é o fundo que investe em participações ativas em empresas de capital aberto ou fechado e sociedades limitadas.

Destinado exclusivamente a investidores com alto nível técnico, o FIP é constituído sob o formato de condomínio fechado. 

Portanto, não permitindo o resgate de cotas até o término da sua duração ou deliberação de liquidação através de uma assembleia de cotistas.

Nos Fundos de Investimento em Participações, o capital é alocado em ativos como:

  • Ações;
  • Bônus de subscrição;
  • Debêntures.

Em outros casos, os recursos também podem ser destinados à aquisição de outros títulos e valores mobiliários conversíveis ou permutáveis em ações.

O objetivo é proporcionar ao fundo a participação no processo decisório das companhias investidas.

Dessa forma, oferecendo influência efetiva aos seus investidores na definição de estratégias de gestão através da indicação de membros do Conselho de Administração.

Por suas características, os FIPs também permitem o investimento em empresas ainda em sua fase de desenvolvimento – injetando dinheiro nesses negócios.

Um diferencial entre esse e outros tipos de fundo de investimento é a possibilidade de aplicação em empresas fechadas, negociando apenas entre seus sócios e acionistas.

É por esse motivo que os Fundos de Investimento em Participações também são chamados de Private Equity, ou Capital Privado em português.

Como constituir FIP?

Para ser enquadrado como de Investimento em Participações, o fundo deve manter ao menos 90% do patrimônio aplicado em ações, debêntures, bônus de subscrição e títulos com possibilidade de conversão para ações.

Já os 10% restantes podem ser usados para o investimento em cotas de outros fundos.

No caso das debêntures simples, existe um limite de representação de até 33% do capital subscrito do fundo.

Como funcionam os FIPs?

O funcionamento de um Fundo de Investimento em Participações se diferencia de outras modalidades pela intenção de participação ativa na gestão de empresas.

Por isso, ao optar por um FIP, os investidores não só participam dos lucros de organizações, como também influenciam nas suas decisões.

Nesse caso, é o gestor do fundo quem fica encarregado de representar os cotistas na indicação dos membros do conselho de administração dos negócios.

Além da composição de ativos indicada, os Fundos de Investimento em Participações também podem ser usados para a compra de ativos estrangeiros.

Entretanto, não é permitido que eles ultrapassem 20% do patrimônio.

O investimento mínimo em FIP está relacionado ao patrimônio investido ou em gestão no mercado financeiro, sendo de R$1 milhão.

Por estar relacionado ao crescimento de empresas, esse tipo de fundo tem um período maior de carência, tendo foco no longo prazo. 

fundo de investimento em participações FIP

Benefícios do investimento em FIPs

Neste ponto, você já entende o que é um Fundo de Investimento em Participações e como ele funciona.

A seguir, vamos te mostrar quais as suas principais vantagens para você decidir se vale a pena ou não fazer esse investimento.

Confira abaixo os principais benefícios do investimento em FIPs

Governança Corporativa

Um grande benefício e diferencial dos FIPs é o alto nível de proximidade com a gestão de organizações.

Ao adquirir participações nos negócios através desse tipo de fundo, é possível influenciar a gestão de empresas com práticas de governança corporativa.

Dessa forma, interferindo ativamente em decisões dentro das companhias investidas.

Retorno

Grande parte dos investimentos de um FIP são em empresas ainda em fase de desenvolvimento ou implementação de projetos.

Por conta do alto potencial de crescimento desses negócios, as possibilidades de lucro para os seus investidores também são maiores.

Vantagem tributária

No caso dos Fundos de Investimento em Participações que investem em projetos de infraestrutura, existe também a vantagem tributária.

Esse tipo de FIPs tem isenção de Imposto de Renda (IR) para pessoas físicas, tanto para ganhos de capital quanto para dividendos.

Dessa forma, tornando o investimento ainda mais atrativo e rentável.

Tipos de Fundo de Investimento em Participações

Os Fundos de Investimento em Participações possuem diferentes tipos existentes no mercado.

Cada um deles possui suas próprias estratégias de alocação, oferecendo vantagens específicas para os investidores interessados.

De acordo com a classificação da B3, os tipos de FIPs são:

Capital Semente

Os Fundos de Investimento em Participações do tipo Capital Semente têm o objetivo de investir em empresas com receita bruta anual menor que R$16 milhões.

Nesse caso, as companhias ou sociedades limitadas não podem ter apresentado receita superior a esse limite nos últimos três exercícios sociais anteriores ao primeiro aporte do fundo. 

fundo de investimento em participações

Multiestratégia

Os Fundos de Investimento em Participações do tipo Multiestratégia são aqueles que admitem o investimento em diferentes tipos e portes de companhias.

Em um Multiestratégia, é possível que até 100% do seu capital subscrito seja investido em ativos do exterior, por exemplo.

Portanto, os FIPs com essa característica não têm a obrigação de seguir apenas um método de alocação, podendo variar de acordo com os objetivos dos seus cotistas.

Empresas Emergentes

Os FIPs inseridos na categoria Empresas Emergentes focam seu investimento em companhias ou sociedades limitadas com receita bruta anual de até R$300 milhões.

Nesse sentido, dando preferência por empresas consideradas em fase de desenvolvimento no mercado.

Para cumprir com esse critério, também são analisados os últimos três exercícios sociais da empresa escolhida.

Infraestrutura

Os fundos do tipo FIP-IE e FIP-PD&I são os que investem em sociedades anônimas ou companhias abertas e fechadas com atuação voltada para a Infraestrutura.

Na prática, o patrimônio é aplicado em negócios que estejam desenvolvendo pesquisas e/ou projetos de produção econômica de desenvolvimento e inovação.

Entre as áreas de interesse do FIP de Infraestrutura, as principais são:

  • Energia;
  • Água;
  • Saneamento;
  • Transporte;
  • Irrigação.

Cada FIP-IE e FIP-PD&I deve ter pelo menos cinco cotistas, mas cada um deles não pode ter mais de 40% das cotas emitidas ou auferir rendimento superior a 40% do rendimento do fundo.

Como já dito, um benefício relacionado a este fundo é a isenção fiscal para os cotistas nos dividendos e na venda de cotas.

Para escolher um Fundo de Investimento em Participações entre essas opções, é importante avaliar fatores como:

  • Perfil de investimento;
  • Objetivos de longo prazo;
  • Prospecto do FIP;
  • Gestão do fundo.

Quando bem administrados e alinhados ao objetivo dos investidores, os FIPs podem ser bastante vantajosos.

Precisando de um serviço de assessoria patrimonial sob medida?

Conte com a assessoria profissional da Portofino para auxiliá-lo na gestão de seu patrimônio!

Conclusão

Neste artigo, você entendeu como funciona um FIP e quais os benefícios oferecidos para os seus cotistas.

Sendo uma boa opção para diversificar sua carteira, não deixe de aproveitar os diferenciais de um Fundo de Investimento em Participações!