fbpx

Você já ouviu falar em Governança Familiar? Se você tem uma empresa de família ou trabalha em uma, é do seu interesse saber mais sobre, já que se trata da gestão de interesses da empresa familiar!

Negócios de família requerem organização, planejamento e administração, assim como qualquer outra empresa, e talvez até mais, já que se trata de construir e perpetuar um legado que irá passar de geração em geração.

Wealth Management: como o serviço funciona e quando contratar?

Quais são os desafios e riscos em empresas familiares?

Administrar qualquer empresa requer desafios e riscos, mas quando se trata de uma empresa familiar, existem cenários muito específicos dessas situações.

Essas situações são contornáveis e muitas vezes de fácil solução, desde que tenham a atenção dos gestores direcionadas ao problema. Saiba quais são os desafios e riscos em empresas familiares mais comuns.

Desorganização e falta de regras

Em empresas familiares, muitas vezes as regras são mais implícitas e menos levadas a sério do que em uma empresa tradicional.

Alguns gestores até se constrangem de fazer essa cobrança aos seus familiares, e isso pode gerar muitos problemas no dia a dia e para o funcionamento da empresa.

É preciso manter uma separação segura e saudável entre profissional e pessoal para que haja uma organização onde cada funcionário tem os seus afazeres e todos precisam seguir as regras da empresa, independente de qual posição ocupa na família.

Nepotismo em cargos de importância

Em uma empresa de família, é claro, o gestor irá empregar os seus familiares, e não há nenhum problema nisso, desde que exista preparo e competência para o cargo que aquele funcionário irá ocupar. 

O cargo deve ser cedido de acordo com a experiência profissional de quem está sendo empregado.

Por exemplo, em nada adianta o gestor querer dar um cargo de extrema importância e confiança para o filho ou para um sobrinho preferido, sem que aquela pessoa tenha a capacidade necessária e imediata para exercê-lo com excelência. Isso certamente poderá gerar danos e riscos à empresa.

Ofereça cargos condizentes com o momento profissional de cada pessoa, e sempre prepare e ofereça experiência e formação, quando necessário, ao funcionário antes de promovê-lo a cargos de maior responsabilidade.

governança familiar

Misturar os gastos da empresa com os gastos familiares 

Esse é um erro comum de empresas familiares.

Utilizar o cartão de crédito da empresa para compras pessoais, retirada do dinheiro do caixa por necessidades pessoais, antecipação de salário para gastos pessoais inesperados, tudo isso compromete a organização financeira de uma empresa e deve ser evitado.

É importante manter o caixa e a receita da empresa de forma segura e separada de interesses pessoais da família.

Afinal, o que é Governança Familiar?

A Governança Familiar é um sistema onde a família que administra os negócios se relaciona diretamente com eles, com a gestão e com o legado da empresa. 

O objetivo é criar uma organização estrutural de administração, definindo também como essa administração irá acontecer nas mãos das próximas gerações ou outros parentes envolvidos.

Quando estiver a ser estabelecida a Governança Familiar, são conversados e estabelecidos os princípios e propósitos daquela família sobre a empresa. 

Também ficam definidas regras, funções a serem passadas adiante para a próxima geração gestora e os valores que compõem a identidade da empresa da família.

A Governança Familiar é necessária a partir do momento em que o negócio irá passar pelo processo de sucessão, ou seja, quando a responsabilidade irá passar para um outro membro ou membros da família.

Isso acontece através desse processo, com o auxílio de um Family Office, como a Portofino, caso necessário.

Um Family Office tem a função de promover a comunicação clara entre os membros da família, organizar o foco e evitar conflitos que possam oferecer danos aos negócios.

Entenda as 3 esferas da governança em empresas familiares

Toda empresa de família tem três esferas de poder que determinam a estrutura e os interesses dos negócios familiares.  São essas:

Família

Essa esfera se refere ao núcleo familiar, ou seja, a todos os seus membros, independentes de serem eles administradores, sócios ou funcionários.

Propriedade

Essa esfera se refere diretamente aos membros titulares, ou seja, os sócios, com participações societárias.

Gestão

Essa esfera se refere aos membros que detêm o comando, a liderança, ou seja, a administração direta dos negócios.

Essas esferas podem estar em maior ou menor evolução, dependendo da fase que atravessa a empresa, ou se ela está em fase inicial ou de ampliação.

Independentemente disso, são essas três esferas de poder que irão estruturar a vida da empresa familiar durante toda a sua existência, e por isso precisam coexistir de forma harmônica.

A harmonia e a ligação entre essas três esferas promove a interação entre todos os membros ligados à empresa, o que pode gerar conflitos e desentendimentos. 

Sendo assim, é preciso tomar medidas protetivas para evitar que essas interferências e desavenças familiares possam causar impacto na gestão dos negócios.

governança familiar

Qual a importância do planejamento da Governança Familiar?

A Governança Familiar vai abordar a organização, relação entre os membros familiares na empresa, a relação com as propriedades e elaborar os princípios, regras, ferramentas e acordos que forem necessários para alinhar todas as pessoas envolvidas com o objetivo no bom funcionamento e na perpetuação do legado da família. 

Sabendo disso, a importância do planejamento da governança familiar promove:

Maior transparência

Esse é possivelmente o primeiro aspecto positivo da implantação do planejamento na gestão de patrimônio familiar.

Durante o processo para estabelecer um controle financeiro do capital familiar, todas as pessoas envolvidas podem saber o que será feito com a receita da empresa, de forma transparente e correta.

Essa transparência ajuda principalmente a evitar conflitos e qualquer possível mal estar entre os membros da família que poderiam afetar negativamente os negócios.

Perpetuação do patrimônio

Esse é o objetivo principal da Governança Familiar.

A criação de uma identidade familiar para a empresa faz com que todos os membros se sintam e se vejam como parte desse processo, e tenham interesse em cuidar dessa identidade e da estratégia de valorização patrimonial para o futuro.

O planejamento é primordial para a governança familiar, permitindo assim a organização e o cuidado com esse patrimônio para as próximas gerações que forem assumir os negócios da família.

Redução da carga tributária

A tributação do patrimônio familiar é importante e não deve ser ignorada. Quando é feito um planejamento correto sobre o gerenciamento dos ativos, há a oportunidade de pagar menos em impostos. 

O gestor poderá tomar a decisão de liquidá-los antes mesmo que possam haver mudanças na legislação ou qualquer aumento das taxas.

Você já conhece a atuação da Portofino Multi Family Office no planejamento da governança de empresas familiares?

Agora que você conhece a importância da Governança Familiar para a sua empresa, entre em contato com a Portofino e conte com um atendimento qualificado para o planejamento e a organização dos negócios da sua família.