fbpx

Os investimentos offshore são aqueles realizados em ativos de outros países e sujeitos a diferentes legislações. Entenda como investir offshore!

O mundo dos investimentos possui estratégias voltadas para os mais diversos tipos de objetivos. Entre as mais polêmicas, estão os investimentos offshore.

Envolvendo a aplicação em ativos fora do território nacional, os investimentos offshore são realizados para diversificar o capital e proteger patrimônios.

As opções para realizar esse tipo de operação envolvem questões tributárias simplificadas e maiores retornos financeiros.

Além disso, diante do aumento dos efeitos da crise, investir fora do Brasil tem se tornado cada vez mais uma alternativa a ser avaliada.

Para entender melhor o que faz o investimento offshore ser tão atrativo e se esse tipo de aplicação é o mais adequado para você, continue no post!

O que são investimentos offshore?

Os investimentos offshore, ou “fora da costa”, são aqueles que envolvem ativos de empresas localizadas em outros países.

As empresas que recebem investimentos offshore estão estabelecidas nos países popularmente chamados de “paraísos fiscais”.

O motivo do termo é o alto número de benefícios tributários desses territórios, como a baixa cobrança de impostos e sistema fiscal simplificado.

São exemplos de países que considerados paraísos fiscais:

  • Suíça;
  • Panamá;
  • Bahamas;
  • Ilhas Cayman.

Entre os principais recursos investidos offshore, estão: ações, fundos de investimento, títulos privados e variação cambial.

Na prática, essa modalidade de investimento sempre é realizada em um domicílio fiscal distinto ao de origem do investidor.

Apesar de serem bastante relacionados a casos de corrupção, as offshores são regulamentadas por lei.

Por isso, aqueles com experiência no mercado financeiro e um alto nível de recursos têm essa estratégia como uma opção a ser considerada.

Vale ressaltar que, apesar de envolver diversos benefícios, esse tipo de investimento tem uma baixa procura se comparado com outras opções.

Um dos motivos principais é o alto valor necessário para fazer uma aplicação no exterior.

investimentos offshore

Quais são as vantagens de “investir offshore”?

A principal vantagem relacionada aos investimentos offshore é aumentar o patrimônio em um mercado financeiro mais estável e com melhores rendimentos.

Além disso, os países com forte isenção de impostos e alto sigilo nas operações também facilitam a proteção patrimonial.

Confira abaixo outros benefícios do investimento offshore:

Blindagem Patrimonial

A blindagem patrimonial é um mecanismo usado para a proteção jurídica do patrimônio pessoal de empresários, sócios e investidores.

Entre duas principais medidas, está a criação de offshores, empresas abertas em territórios com menor tributação e legislação permissiva.

Por estarem localizadas em territórios com maior sigilo fiscal, elas asseguram a alocação do patrimônio em local inacessível ao Fisco e outros credores.

Para exemplificar, imagine que você possui uma empresa que está com pendências financeiras ou sofrendo com execução fiscal.

Nesse caso, se houver condenação, é possível que seus bens pessoais sejam usados para responder pelas falhas da organização.

Em contrapartida, se seu patrimônio estiver “blindado” em outro país, essa não será uma opção disponível juridicamente.

Diversificação de Investimentos

Outra vantagem que torna os investimentos offshore uma opção bastante interessante é a possibilidade de diversificação.

Afinal, eles podem ser usados para compor uma carteira diversificada como no caso dos ETFs, que incluem diversos ativos para uma melhor rentabilidade.

Ao investir em ativos de outros países, você dilui sua exposição ao risco e aumenta as chances de obter uma boa performance financeira. 

Sucessão de bens

O investimento offshore, quando relacionado à sucessão de bens, geralmente envolve a criação de uma trust.

A Trust é uma empresa formada com o objetivo de administrar as operações financeiras e os bens de um indivíduo.

Nelas, um profissional chamado de Trustee fica responsável por deter os ativos e administrá-los segundo os desejos do acionista.

Em caso de falecimento, o Trustee tem a obrigação de transferir as ações da offshore de forma previamente definida em um Trust Deed (documento com regras da Trust).

Portanto, a criação de uma Trust é usada como instrumento de planejamento sucessório, com regras claras que evitam o inventário do patrimônio investido em offshore.

Entretanto, a escolha da melhor solução sucessória para offshores envolve questões como: residência fiscal, bens envolvidos, situação familiar, jurisdição e residência dos herdeiros.

Além disso, os impactos fiscais, objetivos do acionista e valor do patrimônio impactam diretamente a análise.

De forma geral, o apoio de profissionais especializados em assessoria patrimonial é fundamental para definir soluções apropriadas de sucessão de bens offshore.

Para qual perfil é indicado investimentos offshore?

Em momentos de crise, em que o dólar apresenta uma alta cotação, o investimento offshore acaba não sendo a opção mais adequada.

Apesar disso, é importante entender para quem esse tipo de investimento é mais adequado, sendo capaz de oferecer todas as vantagens indicadas anteriormente.

Normalmente, quanto maior for o seu patrimônio, mais oportunidades a modalidade offshore pode apresentar. 

Conforme  a instrução CVM nº 554, é preciso ter, no mínimo, R$1 milhão em investimentos financeiros.

Portanto, essa opção é voltada para investidores com maior capacidade de aplicação e experiência no mercado financeiro. 

Sendo, portanto, mais indicada para os chamados “investidores qualificados” que buscam, além da diversificação de ativos, um maior sigilo e proteção patrimonial.

investimentos offshore

Como investir em offshores?

Apesar de parecer algo complexo, existem diversos meios para ter acesso a mercados financeiros do exterior e investir em offshores.

Listamos algumas opções disponíveis para aqueles com necessidades que vão além do que as corretoras internacionais ou ETFs podem oferecer. Confira abaixo!

Fundos Offshore

Os Fundos Offshore são fundos de investimento internacionais que podem receber gestores de finanças do Brasil para operar.

Em outras palavras, a gestão ocorre no Brasil, mas os ativos encontram-se no exterior, mais especificamente nos paraísos fiscais.

Ao investir nesse tipo de fundo, você tem a oportunidade de diversificar a carteira e ter capital internacional com custos reduzidos.

Existem três tipos de fundos de investimentos offshore existentes. São eles:

  • De Renda Fixa: com títulos de baixo risco e menor rentabilidade;
  • De Renda Variável: possibilita a compra de ações de empresas estrangeiras;
  • Misto: composto de uma carteira de ativos com títulos de renda fixa e variável.

Um dos principais benefícios dessa estratégia é conseguir aplicar recursos no exterior de forma rápida e objetiva.

Além disso, os fundos offshore contam com um histórico de alta rentabilidade e são uma boa alternativa para a diversificação da carteira de investimentos.

Entretanto, esse tipo de ativo requer um valor mínimo de aplicação bastante significativo (US$200 mil) e apresenta altas taxas de administração e performance.

Outro ponto negativo é o fato dele não contar com proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e também estar sujeito à variação cambial. 

Esse fator pode impactar negativamente a rentabilidade do fundo de investimento.Por isso, deve ser considerado com cautela.

Abrir uma empresa offshore

A abertura de uma empresa offshore está normalmente ligada à obtenção de benefícios fiscais em outros países.

Isso porque, em geral, esses negócios são abertos em locais onde existe uma menor cobrança de impostos e obrigações fiscais.

Além disso, não é preciso ter mão-de-obra ou algum tipo de produção para criar uma offshore.

As principais vantagens desse tipo de empreendimento são a eficiência fiscal, a proteção patrimonial e o planejamento sucessório.

Apesar disso, o custo de estruturação e manutenção é alto. 

Por isso, essa estratégia acaba sendo mais indicada para indivíduos com perfil financeiro mais elevado.

Criação de trust offshore

Já citada anteriormente, a Trust Offshore é um tipo de sociedade estrangeira considerada uma boa estratégia para a proteção de bens.

Na prática, o que ocorre é a transferência de um determinado patrimônio do Instituidor (você) para um administrador, chamado de Trustee. 

O objetivo é fazer com que os bens sejam administrados em favor do depositante ou de uma pessoa indicada por ele, sendo ela o Beneficiário.

Existem graus de autonomia que podem ser concedidas pelo Instituidor ao Administrador, que são:

  • Fixed Trusts: nível de liberdade limitado na gestão dos bens;
  • Discretionary Trust: alta confiança para a implementação do Trust.

Nesse tipo de sociedade, o Administrador se torna judicialmente responsável pelo patrimônio do Instituidor.

Por conta disso, caso as medidas de proteção ao patrimônio não sejam realizadas como no acordo, o Trustee deve indenizar os beneficiários pelas perdas de bens ou propriedades.

Buscando por soluções de assessoria patrimonial e investimentos offshore com segurança e boa rentabilidade?

Conheça os serviços da Portofino Multi-Family Office!

Conclusão

O investimento em offshores exige, além de um alto nível de recursos, um planejamento financeiro prévio para que ofereça vantagens sem comprometer seu patrimônio.

Por isso, se está desejando realizar investimentos offshore, não deixe de investir antes em apoio especializado para te ajudar!